quinta-feira, 14 de maio de 2015

PALESTRANTE: comportamento humano e motivação para o trabalho.

PROF. RAIMUNDO BARBOSA
ALGUMAS ATUAÇÕES:
  • Professor no Inst. Macapaense de Ensino-IMMES, na Componente: Metodologia Científica;
  • Professor Pesquisador do Instituto Federal do Amapá;
  • Palestrante do Componente Relações Interpessoais no Projeto de Policia Comunitária/AP, desde 2009.
  • Professor da Universidade do Estado do Amapá/UEAP, nos COMPONENTES: Didática, Prática Pedagógica, Estágio Supervisionado, História da Educação, TCC II, Plan. Educ. na Educação Infantil.
  • Professor da Faculdade Atual/AP nas componentes: DIDÁTICA (graduação) e DIDÁTICA E METODOLOGIA DO ENSINO SUPERIOR (Pós-graduação);
  • Bolsista do CAPES/PAFOR/UEAP/2014 (Fundamentos da Orientação Educacional);
  • Professor de Educação Profissional do SENAI/AP no nível Técnico - áreas de Administração Empresarial, contabilidade e Gestão de Pessoas;
  • Diretor de Escolar;
  • Coordenador Pedagógico.
  
FORMAÇÃO ACADÊMICA:
    • MBA em Gestão Empresarial/Estácio;
    • Psicopedagogo Instituciona/META;
    • Pós graduando em Educação Especial e Inclusiva/UNINTER;
    • Licenciatura Plena em Formação Pedagógica em Educação Profissional/UNISUL;
    • Pedagogo/UFPA.
    • Contabilista/Ínst. getúlio Vargas
     
EMAIL: prof_barbosa@hotmail.com
 
 
 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Tatuagem e a hora de arrumar emprego?

 
Grandes, pequenas, espalhafatosas ou discretas: tatuagem ainda é tabu no mercado de trabalho e divide opiniões.
 
Encarado como um grande tabu no mercado de trabalho, tatuagem ainda é um assunto que divide opiniões, gera estigmas e até preconceitos. Afinal, ter alguns desenhos rabiscados pelo corpo pode ser um problema na hora de buscar emprego?
 
A content management Andressa Schneider, da agência de empregos 99 Jobs, explica que apesar da resistência por parte de algumas empresas, a popularização das tatuagens trouxe um novo olhar para o mercado de trabalho. “A gente nunca recebeu um "veto" de algum contratante quanto à tatuagem - até porque isso seria discriminação. Mas sabemos que existe, principalmente em empresas com o perfil mais conservador”.
Para quem pensa em fazer tatuagem e tem dúvidas, Andressa sugere algumas dicas para que não haja problemas – antes ou depois da contratação. Assim, um pouco de discrição e a diferentes formas roupas também podem ser um grande aliado para quem já tem o corpo desenhado.
 
     - Se a pessoa já foi contratada com a tatuagem, não haverá problemas;
     -E se o profissional quer ter tatuagens e acha que a empresa "vai resistir", vale a pena pensar um pouco - se esse lugar tão inflexível realmente reflete o tipo de ambiente em que se quer trabalhar;
     - E se sim, se a tatuagem pode esperar mais um pouco ou ser "repensada" para locais que podem ser facilmente ocultados”.
Já em casos de excessos por parte dos empregadores, Andressa explica que a flexibilidade por parte de ambas as partes pode ser considerado a melhor saída para a situação.
     - Ninguém precisa tolerar desrespeito. Agora, acredito que um pedido para ocultar a tatuagem em uma reunião com clientes ou algum outro momento, também pode ser considerado.
 
Para ilustrar melhor a questão, o Catraca Livre entrevistou a professora Renata Alves, que leciona para alunos de 12 a 18 anos. “Dou aula para alunos que estão entre o 8º ano do Ensino Fundamental II e o 3º ano do Ensino Médio, e a aceitação, particularmente em sala de aula, é tranquila e não costuma ser chocante - no sentido de algum aluno se surpreender pelo seu professor ter uma tatuagem”.
 
Com a popularização das tatuagens nos últimos anos, Renata crê em uma mudança de pensamento, dentro e fora da sala de aula. “Acho que isso acontece, pois a ideia de marcar o corpo, hoje em dia, embora ainda sofra certo preconceito por alguma parte da sociedade, já está mais disseminada no próprio convívio familiar. É comum considerando que os meus alunos mais novos podem ter pais de 30, 35 anos, que a mãe, ou familiar próximo, já tenha feito uma tatuagem. dessa forma, o que poderia parecer transgressor, hoje é comum e até motivo, muitas vezes, de admiração”.
 
Por outro lado, a professora avalia que entre preconceito e a aceitação, o que vale mesmo é a qualidade do trabalho realizado no dia a dia, acima de qualquer julgamento.
 
Renata explica que para decidir seus desenhos, primeiramente, levou em conta as consequências que elas poderiam ter no mercado de trabalho."Eu tenho duas tattoos, uma bem pequenininha no pé, e outra média, que começa no ombro e termina nas costas. A pequena, eu fiz quando tinha 18 anos, e a média quando tinha 21. Esta última foi feita um mês depois da minha formatura da faculdade, ou seja, eu escolhi um lugar que eu conseguiria esconder facilmente, uma vez que sabia que poderia encontrar algum empecilho, caso a política do colégio onde eu fosse trabalhar não aceitasse professores tatuados. Assim, na minha rotina diária, os desenhos não ficam aparentes, mas quando vou às formaturas ou festas dos colégios, tenho total liberdade para escolher roupas que não cubram as tattoos”.
 
 
 
Catraca Livre.
 
------------------------------------------------------------------
Espero ter contribuido com sua vida profissional.
 
Prof. Raimundo Barbosa

 

sexta-feira, 10 de abril de 2015

MODELO DE CURRÍCULO PARA ESTÁGIÁRIO.


MODELO DE CURRÍCULO PARA ESTÁGIÁRIO

 

Nome do candidato

Nacionalidade, estado civil e idade Endereço – Bairro – Região (se necessário) - Cidade Telefone residencial e celular E-mail.

OBJETIVO:

o   Não é necessário ter um objetivo totalmente definido. Os candidatos podem apenas citar a área de interesse. Exemplo: Área financeira

FORMAÇÃO ACADÊMICA:

·         Curso: Ciências Atuariais Faculdade: (Nome da universidade) Previsão de graduação: Jan/2010 – Dez/2015

IDIOMAS:

·         Inglês Avançado;

·         Espanhol Intermediário.

INFORMÁTICA PACOTE

·         Office;

·         Internet.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

·         Também podem colocar trabalho eventual ou em empresa júnior, do centro acadêmico da faculdade.

·         Nome da empresa

o   Cargo: Estagiário;

o   Período: Fevereiro/2013 – Atual

o   Atribuições: Programar e controlar as reservas financeiras dos clientes, a fim de garantir o pagamento dos compromissos assumidos com os segurados; elaboração de planilhas e cálculos financeiros.

·         Outras atividades:

o   Se o candidato faz trabalhos voluntários é importante descrever. O recrutador pode avaliar as habilidades através deles.

o   Exemplo: Trabalho voluntário na Paróquia Santo Antônio desde março de 2009. Arrecadação de fundos para a paróquia, aulas de catequese, campanhas beneficentes para a comunidade.

O QUE FAZ REALMENTE UM ASSISTENTE ADMINSITRATIVO?

Sabe-se que quem trabalha na área administrativa lida com pessoas e muitos documentos. Mas o que realmente faz um assistente administrativo? O assistente administrativo é um profissional que trabalha colaborando para a organização na área de administração da empresa. Ou seja, é ele quem auxilia no controle de gestão financeira, coordenando as atividades logísticas e administrativas. É também frequentemente requisitado para ajudar o administrador em suas atividades rotineiras.
Controlar o fluxo de entrada e saída de correspondência, receber e arquivar documentos, cuidar das contas a pagar, manter a agenda atualizada, solucionar pendências, manipular fotocopiadoras, usar os principais programas de computador, além de atender chamadas telefônicas, responder e-mails e atender ao público são algumas das principais funções de um assistente administrativo.
Seja em empresas públicas ou privadas, o trabalho, apesar de possuir certa autonomia, é geralmente supervisionado por um profissional da área.
Algumas características são importantes para quem quer trabalhar no setor. Por exemplo, saber trabalhar sobre pressão, ter atenção a detalhes, ter uma boa comunicação, ser determinado, saber administrar bem o tempo, ter dinamismo, metodologia, ter senso de organização e foco.
Saber inglês é um diferencial, já que a profissão não exige uma formação específica, por ser uma atividade de assistência e apoio. No entanto, em geral, as empresas dão preferência a profissionais que estejam cursando nível superior, que tenham diploma na área ou que tenham cursos de qualificação.
Recursos Humanos
O assistente administrativo poderá também realizar tarefas envolvidas na organização e controle de RH (Recursos Humanos). Para atuar especificamente nesta área, é preciso conhecer como funcionam as normas e políticas da empresa, além de questões que envolvem diretamente os direitos e deveres dos trabalhadores. O profissional que auxilia o setor de RH colabora com o psicólogo, auxiliando-o na implantação de diretrizes e no desenvolvimento de programas de administração de salários e benefícios. Também atua na parte logística e burocrática de treinamentos, avaliações de desenvolvimento, planos de carreiras e sucessões, entre outras funções.
http://cursosonline.uol.com.br/
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Espero ter contribuido com sua carreira profissional.
Prof. Raimundo Barbosa

quinta-feira, 9 de abril de 2015

CURRICULO PARA O PRIMEIRO EMPREGO.

 
Pâmela Kometani Do G1, em São Paulo.
 
1) Dados pessoais
Informações que devem constar no início do currículo: nome completo, idade, estado civil, endereço, cidade, região, telefone (celular, residencial ou para recados) e e-mail.


2) Objetivo
Candidato pode listar o cargo de interesse. Caso ele não tenha uma posição específica, pode citar a área de atuação, como logística, administrativa, entre outras.


3) Formação acadêmica
Deve ser informado o último grau de escolaridade, ou seja, quem não tem nível superior deve citar o nível médio, e assim por diante. A descrição deve ter o nome da instituição, curso e ano de conclusão ou previsão de término.


4) Idiomas, informática e outros cursos
Como o candidato não possui experiência, ele deve mostrar que tem outras habilidades que poderão ser utilizadas no emprego.


5) Voluntariado e outras experiências
As experiências no mercado informal são válidas e podem ser citadas. O voluntariado é muito valorizado pelas empresas.


6) O que não colocar
  •   Foto (só quando o empregador solicitar)
  •   Número de documentos
  •   Título “currículo vitae” ou “currículo”
  •   Nome de pais, marido ou esposa e filhos
  •   Referências pessoais (contatos de pessoas que podem falar sobre o profissional não devem ser indicados)
  •   Pretensão salarial
  •   Cartas de referência
  •   Certificados de cursos realizados
  •   Data e assinatura
  •   Habilidades genéricas, como proatividade e criatividade

Objetivo
Flávia, da Secretaria do Trabalho de São Paulo, lembra que mesmo sendo um currículo para o primeiro emprego, o candidato não deve ser muito genérico. Não vale, por exemplo, escrever que quer apenas uma colocação profissional ou um emprego. “É importante colocar o cargo ou o objetivo, pois quando o recrutador ler o currículo ele vai ver que a pessoa sabe o que quer. E na entrevista, o candidato pode falar que tem interesse em aprender e de se desenvolver.”


“É primordial que o objetivo esteja explícito com o intuito de minimizar abordagens desnecessárias. É válido pontuar para quais cargos ou funções específicas o candidato tem interesse”, afirma Dorileia. É possível, por exemplo, dizer que quer atuar na área administrativa.

Para os candidatos que querem falar o quanto desejam aprender, Flávia indica que isso seja informado no corpo do e-mail, quando o currículo é enviado pela internet, ou durante a entrevista. Segundo ela, não vale colocar essa informação junto com o objetivo ou como um parágrafo solto no meio do documento.

Fuja das gafes
 
Segundo Dorileia, erros gramaticais, informações incoerentes, como nível de inglês desatualizado, formação acadêmica com informações incorretas e omissão de dados que impossibilitam o contato com o candidato estão entre os principais erros cometidos por candidatos que estão em busca do primeiro emprego.

Flávia também lembra que alguns candidatos "jogam contra", informando as habilidades que não possuem em vez de valorizar seus pontos positivos. “Se ele não tiver determinada experiência não precisa colocar que não tem. Ele não deve falar mal de si mesmo.”
Currículos com letras ou fundo coloridos e com desenhos não são considerados inovadores e não são bem vistos pelos recrutadores. A opção mais segura ainda é apostar no padrão tradicional.

-----------------------------------------------------------

Espero ter contribuido com sua carreira.

Abraços.

Prof. Raimundo Barbosa